O que fazer no roteiro de vinhos da Serra Gaúcha – dicas e curiosidades

9 de dezembro de 2021 - Por Viajar é Demais

Por Chaiane do Viajar é Demais

Que tal fazer um roteiro com experiências incríveis de enoturismo e gastronomia em solo brasileiro, na charmosa Serra Gaúcha? Não é à toa que esse é um dos destinos mais charmosos e procurados do Brasil. Neste post reunimos tudo que você precisa saber na hora de planejar a sua viagem pelo Vale dos Vinhedos e pela belíssima rota rural da Região da Uva e do Vinho, com dicas sobre as principais cidades, onde ficar, onde comer, melhores vinícolas, o que vestir e muito mais! Acompanhe e descubra o que fazer no roteiro de vinhos da Serra Gaúcha!

Melhor época para fazer o roteiro de vinhos da Serra Gaúcha

Serra Gaúcha dicas de vinícolas

Antes de apresentar as dicas de roteiro, saiba que as atividades da Serra Gaúcha funcionam o ano todo, em qualquer estação. Enquanto o verão é marcado pela Vindima – a grande colheita da uva, no outono/inverno as baixas temperaturas deixam o momento das experiências gastronômicas e das degustações de vinhos ainda mais deliciosos e aconchegantes. Mas lembre-se: pode fazer frio o ano todo, especialmente à noite! Por conta do clima de serra, mesmo nas estações mais amenas, a temperatura pode cair bastante quando o sol se põe! É sempre importante ir bem preparado com roupas e calçados adequados para aproveitar ao máximo a viagem.

Localização

Para dar uma ideia das distâncias, vamos utilizar como referência o Vale dos Vinhedos, uma das rotas turísticas mais famosas da região da uva e do vinho. A partir do Aeroporto Salgado Filho em Porto Alegre, são 122 quilômetros; já de Gramado, são 120 quilômetros de distância, percorrendo estradas asfaltadas e bem sinalizadas.

A denominação de origem Vale dos Vinhedos

E já que mencionamos essa rota enoturística famosa, você sabia que os vinhos do Vale dos Vinhedos são os únicos no Brasil que possuem “Denominação de Origem”? Ter a D.O “Vale dos Vinhedos” no rótulo do vinho é um indicativo de procedência e qualidade. Isso porque aqueles que são produzidos nesse terroir (características únicas do solo e do microclima particular de determinada região) seguem uma série de exigências preestabelecidas para classificação de espumantes e vinhos. E fazem parte deste pequeno trecho da Serra Gaúcha os municípios de Bento Gonçalves, Garibaldi e Monte Belo do Sul.

Bento Gonçalves (Vale dos Vinhedos)

Vale dos Vinhedos

Sobre a cidade: Bento Gonçalves é uma das cidades pioneiras como destino enoturístico no Brasil e uma das principais cidades do Vale dos Vinhedos, que concentra a maior parte das vinícolas. Não à toa é chamada de Capital Brasileira da Uva e do Vinho, sendo uma das mais conhecidas da Serra Gaúcha. Conta com ótima estrutura turística para quem vai em busca do clima romântico da serra, do bom vinho e da gastronomia farta. Mas também oferece programação para quem quer contato direto com a natureza, experimentando um pouco da vivência da zona rural do interior ou praticando atividades de ecoturismo e de turismo aventura. E com direito a usar roupas de frio lindas e elegantes!

Quanto tempo ficar? Reserve de 2 a 3 dias para dar conta de visitar algumas das principais vinícolas da Serra Gaúcha e aproveitar as delícias que podem ser encontradas nas lojas de produtos artesanais.

Sobre as vinícolas: Bento reúne dezenas de vinícolas, boa parte delas concentradas na rota do Vale dos Vinhedos. A sugestão é visitar 2 ou 3 vinícolas no máximo por dia, aproveitando a proximidade entre elas. Algumas das vinícolas imperdíveis dessa região são:

– Vinícola Torcello: uma charmosa vinícola artesanal, onde a proposta é manter a produção pequena e de alta qualidade. A produção anual é de apenas 20 mil garrafas de vinhos, entre tintos e brancos, 15 mil garrafas de espumantes e 60 mil de suco de uva. Isso permite que o processo de elaboração seja feito de forma totalmente artesanal e controlada. Por isso os vinhos de cada rótulo produzido na vinícola saem com a safra e a respectiva numeração da garrafa e o total de garrafas produzidas naquela safra. Na visita, o breve tour pelos vinhedos e pela produção antecede a experiência de degustação dos excelentes rótulos produzidos por eles.
Localização: Estrada do Vinho, ERS 444, km 16 Vale dos Vinhedos.

– Cave do Sol: uma construção recente, linda e moderna, que ressalta a potência da luz solar e marca uma nova etapa da Vinícola Cave do Sol. Na decoração, o resgate artístico com elementos do prédio onde ficava a antiga vinícola transformados em obras de arte permeiam o percurso que conta a história da família de imigrantes italianos por trás de tudo. Depois do tour, a dica é fazer a ‘Degustação com Chocolate’, uma harmonização dos excelentes vinhos da Cave do Sol com chocolates artesanais. Essa experiência acontece no espaço chamado Vinheria, um ambiente aconchegante com janelões de vidro que oferecem uma bela vista do Vale dos Vinhedos. Uma delícia em todos os sentidos.
Localização: Estrada do Vinho, ERS 444, km 20 Vale dos Vinhedos.

– Vinícola Miolo: uma das maiores vinícolas brasileiras, detentora de grande volume de produção anual e um parque produtivo amplo e automatizado. A breve visita guiada pela estrutura da vinícola conta um pouco da história, apresenta o Vinhedo Modelo, os tanques de elaboração, barricas, caves de espumantes e de envelhecimento. Ao final, é possível fazer a degustação de alguns dos rótulos emblemáticos da Miolo, além da visita à loja de vinhos. O tour tem duração média de uma hora, com acompanhamento de um enólogo ou sommelier da Miolo.
Localização: Estrada do Vinho, ERS 444, km 21 Vale dos Vinhedos.

– Vinícola Cave de Pedra: uma vinícola boutique erguida em um castelo de pedra! Já imaginou? Pois é, a charmosa Cave de Pedra fica em um prédio lindo de arquitetura medieval moderna bem no coração dessa região tão especial, cercado de parreirais. Tem como especialidade a elaboração de espumantes pelo método tradicional, o que resulta em bebidas com excelência em qualidade. A proposta é manter em seus vinhos e espumantes todas as características do Terroir Vale dos Vinhedos. Por isso, a produção anual é limitada a aproximadamente 45 mil garrafas entre vinhos e espumantes. A dica na Cave de Pedra é fazer a ‘Degustação às cegas’, onde a experiência de provar vendado 5 amostras de vinhos secretos selecionados especialmente pelo enólogo da vinícola aguça todos os sentidos! E é muito divertido!
Localização: Linha Leopoldina, 315, ERS 444, Vale dos Vinhedos.

– Casa Valduga Vinhos Finos: uma vinícola premiadíssima e marca brasileira líder no segmento de vinhos e espumantes de luxo. Durante o tour guiado que passa por todos os setores, da produção à expedição, o visitante recebe uma linda taça e tem a oportunidade de degustar os vinhos e espumantes premiados da vinícola. E o melhor: a experiência acontece em salões especiais dentro das caves. É lá que ficam os vinhos e espumantes enquanto passam pelas diversas etapas do processo, como a área das barricas de carvalho. E ainda tem o belo jardim com vista para o vinhedo, um lugar tranquilo e lindo demais!
Localização: Via Trento, 2355 – Vale dos Vinhedos.

– Pizzato Vinhas e Vinhos: Esta sofisticada, porém pequena e familiar vinícola, oferece uma experiência de degustação com 6 rótulos pareados com 6 queijos regionais gaúchos. Uma verdadeira aula de harmonização! Os vinhos vão sendo escolhidos na hora e todo tipo de surpresa pode acontecer, inclusive a entrada de vinhos inesperados e algumas raridades da vinícola. Os aspectos técnicos da produção dos vinhos são o diferencial da Pizzato que faz essa jovem vinícola (inaugurada em 1999) ter os seus rótulos entre os mais destacados em degustações e painéis de vinhos Brasileiros e Internacionais, além de figurarem nas lojas especializadas e nas adegas de restaurantes conceituados.
Localização: Via dos Parreirais, S/N – Santa Lucia, Vale dos Vinhedos.

O que mais tem para visitar na Serra Gaúcha – Vale dos Vinhedos?

Roteiro – Caminhos de Pedra: Por concentrar o maior acervo arquitetônico da imigração italiana em meio rural do país e pela preocupação com a preservação do patrimônio histórico material e imaterial, a região chamada de Caminhos de Pedra recebeu o título de ‘museu vivo’ e também a chancela de Patrimônio Histórico do Rio Grande do Sul desde 2009. São 12km de extensão que oferecem cultura, gastronomia e arquitetura em vários pontos de visitação e observação. As centenárias casas de pedra da rota incluem moinhos, cantinas coloniais, casa de massas caseiras, teares, casa de doces e resgatam muito da herança cultural e das experiências de vida dos imigrantes e seus descendentes. Uma delícia de programação que merece ao menos um dia reservado no seu roteiro pela região. E não esqueça de usar roupas quentinhas e elegantes para ficar confortável durante o passeio e ainda sair combinando nas fotos com as lindas paisagens campestres que lembram a Toscana, famosa região vinícola da Itália.

Pipa pórtico e centro histórico: A Pipa Pórtico fica na via que leva ao centro de Bento Gonçalves e recebe a todos com um convite para entrar “no mundo do vinho”. Um pórtico que faz alusão a uma pipa, inaugurado em 1985. No city tour pelo centro histórico é possível ver as marcas deixadas desde a chegada dos primeiros imigrantes italianos, a partir do expressivo patrimônio cultural composto de prédios, monumentos, parques, obras de arte e muitas histórias.

Onde comer? Pietra Trattoria (Linha Palmeiro, 340 Caminhos de Pedra); Vitiaceri Casa das Cucas (Estrada Caminhos de Pedra); Vallontano Risoteria e Café (Km 16 – Vale dos Vinhedos); Restaurante Casa Madeira (Via Trento, 3355 – Vale dos Vinhedos); Giordani Gastronomia Cultural (Via Trento, 3671 – Vale dos Vinhedos); Cuvée VinoBoutique (Km 19,1 Vale dos Vinhedos); Cobo Wine Bar (R. Vitório Carraro, 600 – Bento Gonçalves).

Onde se hospedar? Locanda Montecielo – Vale dos Vinhedos (Rua Maria Oselame Longhi, Via Trento, 285, Vale dos Vinhedos); Container no Vale dos Vinhedos (Vale dos Vinhedos).

Garibaldi (Vale dos Vinhedos)

Vale dos Vinhedos Garibaldi

Sobre a cidade: Conhecida como a “Capital Brasileira do Espumante”, Garibaldi pertence à 1ª Colônia da Imigração Italiana, integrando a Região da Uva e do Vinho da Serra Gaúcha e o Vale dos Vinhedos. Uma cidade tranquila e bucólica, que tem a agricultura e a indústria como bases de sua economia, além da forte presença do turismo.

Quanto tempo ficar? Reserve pelo menos 1 dia para visitar as duas principais vinícolas da região e conhecer o pequeno centro histórico da cidade.

Quais as principais vinícolas? As duas principais vinícolas da cidade ficam bem no centro e tem cerca de 5 minutos de distância entre elas. Comece pela Vinícola Garibaldi, experimentando a degustação “Taça & Trufa” (harmonização de chocolates artesanais com espumantes e vinhos). Na sequência, siga até a Peterlongo e conheça um pouco da história dessa vinícola que se confunde com a história da cidade. Após a degustação dos principais rótulos (incluindo um legítimo “Champanhe” da única vinícola autorizada a utilizar esse nome no Brasil), encerre o dia curtindo o pôr do sol nos vinhedos, de preferência com o picnic que eles oferecem!

Onde comer? O jantar não poderia ser em outro local que não a deliciosa “Tabacaria Benvenuto”, melhor restaurante de Garibaldi. (R. Dante Grossi, 574 – Centro, Garibaldi – RS).

Onde se hospedar? Pousada Botte di Vino (Acesso Norte Gilmar Tedesco 201, Bairro Borghetto, Garibaldi).

Pinto Bandeira

Vale dos Vnhedos Pinto Bandeira

Sobre a cidade: Este pequeno município de apenas 3 mil habitantes e a cerca de 20km de Bento Gonçalves não pode ficar de fora do seu roteiro. Pinto Bandeira é uma pequena localidade da chamada “Região da Uva e do Vinho” que se emancipou de Bento Gonçalves em 2013 e é famosa pelas belas paisagens naturais e pela qualidade dos vinhos, especialmente dos espumantes. Qualidade essa reconhecida pela iminente certificação de Pinto Bandeira como “Denominação de Origem” — a primeira para espumantes produzidos no “Novo Mundo”. Não deixe de desfrutar de Pinto Bandeira e seu terroir único!

Quanto tempo ficar? Reserve pelo menos 1 dia para visitar as principais vinícolas da cidade.

Quais as principais vinícolas?
– Vinícola Don Giovanni – Vinhos, Vinhedos e Pousada: Uma vinícola premiada pela produção de vinhos e espumantes que estão entre os melhores do país; um antigo casarão dos anos 1930 em meio aos vinhedos da Don Giovanni, com quartos adaptados para receberem os hóspedes com muito conforto e aconchego; um restaurante que apresenta em seu menu pratos elaborados a partir de ingredientes regionais com muita técnica e sofisticação, sem abrir mão do respeito às tradições. Essa é a proposta da Don Giovanni: oferecer mais do que uma estadia, uma verdadeira experiência enogastronômica em meio a natureza exuberante de Pinto Bandeira.

– Família Geisse: Para quem é fã de espumante de alta qualidade, a visita à vinícola Família Geisse é imperdível! E se você curte uma aventura em meio a natureza, então faça seu planejamento com antecedência porque as atividades que a vinícola dispõe são imperdíveis e, por isso, muito concorridas! Se programe aí com 2 meses de antecedência para fazer o passeio de 4×4 “Terroir Experience”. Nele você vai percorrer a propriedade, desbravando os maravilhosos vinhedos em meio à lagos, araucárias, jardins e, uma surpreende cascata no meio da mata nativa! Um passeio imperdível!

Onde comer? Nature na Don Giovanni (Linha Amadeu, KM 12 – Interior, Pinto Bandeira – RS); Restaurante Colheita (R. Sete de Setembro, 1471 – Centro Histórico, Pinto Bandeira – RS).

Onde se hospedar? Don Giovanni (Linha Amadeu, KM 12 – Interior, Pinto Bandeira – RS).

Caxias do Sul

Caxias do Sul Inverno

Sobre a cidade: É o segundo maior município do Rio Grande do Sul e um dos pólos industriais de maior destaque no cenário nacional. Caxias do Sul também é a cidade da famosa Festa da Uva, a maior e mais tradicional festa do sul do país, que existe desde 1931. Uma feira com muita comida típica, atrações e claro, vinhos e uvas. E aquele característico clima europeu que atraiu os imigrantes e continua atraindo os viajantes e turistas tanto para a cidade, quanto para a Serra Gaúcha. Embora as vinícolas sejam pequenas e pouco conhecidas, o destaque vai para a excelente cena gastronômica e noturna, além da ótima oferta de hospedagem. Com sua localização central e de fácil acesso em relação às demais cidades do entorno, berço das grandes vinícolas, Caxias se torna uma excelente opção como cidade-base do passeio pela Região da Uva e do Vinho.

Quanto tempo ficar? Depende dos objetivos da viagem. Se a ideia for utilizar Caxias como base para visitar as vinícolas das cidades próximas como Farroupilha e Flores da Cunha, além de curtir os ótimos restaurantes da cena gastronômica local, duas noites são o ideal.

Onde se hospedar? Blue Tree Towers Caxias do Sul (R. Pinheiro Machado, 2867 – São Pelegrino, Caxias do Sul).

Onde comer? Sebastiana Bar e Restaurante (R. Eng. Euclídes da Cunha, 355 – Rio Branco); Boaz Cozinha e Bar (R. Cel. Flores, 810 – São Pelegrino).

Mais cidades da Serra Gaúcha

Farroupilha: Considerada o berço da imigração italiana no Rio Grande do Sul e também a “capital nacional da moscatel”, Farroupilha é uma das grandes cidades da região da uva e do vinho, tanto em extensão territorial como em número de habitantes. Por lá fica localizada a Casa Perini, na região do chamado Vale Trentino, entre as colinas e videiras que compõem o cenário deste terroir. A dica é chegar pela manhã e já começar o dia com um passeio de bicicleta pelas estradas rurais, em meio aos vinhedos, seguido de um picnic bem gostoso! Depois de pegar a bike munida de todos os apetrechos, comidinhas e bebidas, basta seguir o caminho que é muito bem sinalizado e só parar quando chegar no local do picnic! Curtir a vista saboreando as comidinhas e degustando um espumante premiadíssimo da Perini nesse cenário é uma experiência única! Mas se você prefere um programa menos aventureiro, aproveite o Beatrice By Q Restaurante que fica junto da vinícola e tem uma área externa super aconchegante, no melhor estilo campestre! Ele funciona o dia todo com pratos para compartilhar e petiscar e, durante o horário do almoço, serve pratos deliciosos inspirados na culinária local e harmonizados com vinhos da casa.

Passeio de bicicleta em vinícola para piquenique

Flores da Cunha: Seguindo mais ao norte na região da uva e do vinho, depois de Caxias do Sul, está a pequena cidade de Flores da Cunha. A cidadezinha tem duas excelentes e premiadas vinícolas: a Luis Argento e a Viapiana.

Vai dizer que essa região rende um super roteiro com experiências incríveis de enoturismo e gastronomia para fazer em família ou num clima romântico? Conta para nós, você gostou das nossas dicas sobre o que fazer na Serra Gaúcha?

Viajar é Demais - 9/12/2021

O Viajar é Demais é uma revista digital de viagem criada em 2016 por Augusto Lohmann e Chaiane Bitelo. Um casal apaixonado e workaholic que ama viajar e fez o hobby virar trabalho! Juntaram suas habilidades profissionais de jornalista e publicitária, com o faro e experiência de pesquisadores para criar conteúdos de qualidade.

Últimos artigos de Viajar é Demais

Ver todos os posts de Viajar é Demais

Compartilhe com um amigo:

O especialista do frio indica...

Quando as temperaturas começam a baixar, nada melhor do que contar com a opinião, conselhos e dicas de quem entende muito sobre o frio. Não importa qual o assunto, aqui você encontrará o melhor conteúdo para que possa aproveitar todos os momentos do inverno e esclarecer as suas principais dúvidas sobre os dias frios. Quer sugestões sobre os melhores produtos para aquecer, dicas  para manter a saúde ou sobre o que levar na mala na sua próxima viagem de inverno? Confira alguns posts selecionados a dedo pelos nossos especialistas do frio para você!

Top