Férias no inverno gaúcho: Cambará do Sul

30 de julho de 2021 - Por Portal de Inverno

Quem deseja viajar para o Rio Grande do Sul, mas quer fugir da badalação de Gramado e Canela tem como opção a belíssima cidadezinha de Cambará do Sul. O município é a principal porta de entrada para os parques ecológicos Aparados da Serra e Serra Geral; o espetáculo fica por conta do cânion de Itaimbezinho, que possui belos paredões de 720 metros de altura e 6 quilômetros de extensão. Quem gosta de andar a cavalo pode optar pelo passeio de sete dias, feito pelos parques durante o inverno, onde se pode apreciar as belas paisagens e curtir as baixas temperaturas.

Quando ir a Cambará do Sul

Geada em Cambará do Sul

O inverno é o melhor período para visitar Cambará e, nós vamos explicar o porquê. O verão é quente – podendo chegar aos 35 graus, além de ser longo e abafado e contar com chuvas mais volumosas. Na estação quente o céu fica cheio de nuvens, o que prejudica a visibilidade dos cânions. Já durante os meses do meio do ano, o céu geralmente está aberto, com temperaturas mínimas de cerca 14 graus.

Portanto, se você quer ver os cânions com tempo bom, os meses de junho a agosto são os mais indicados. Mas eles também são os mais gelados, com uma quantidade significativa de ventos frios. Por isso, agasalhe-se bem. Principalmente quem mora em regiões quentes do país, como norte e nordeste e não está acostumado com o frio, as diferenças de temperatura e sensação térmica são grandes. É preciso levar roupas térmicas: calças e blusas segundas peles, luvas, gorro, meia térmica, blusas de lã (ou fleece), um casaco corta-vento e calçados bem quentinhos!

O que fazer em Cambará do Sul no inverno

Agora que você já sabe o que levar na mala para visitar Cambará do Sul no inverno, vamos conhecer as principais atrações desta bela cidade? A região oferece roteiros fantásticos de turismo de aventura e ecoturismo, em uma região de interior, com aquele arzinho rural e de estruturas turísticas familiares. E tem lugar melhor para esquecer dos problemas? Friozinho gostoso, perto da lareira ou do fogão à lenha, degustando um bom vinho e aquela comida mais que especial, em meio a belezas naturais realmente espetaculares!

Cânion Itaimbezinho – Parque Nacional Aparados da Serra

Cambará do Sul no Inverno Itaimbezinho

Imagem: Francielle Garcia Moreira / Wikipédia 

Cartão-postal da região, o Cânion Itaimbezinho possui as paredes mais íngremes, com profundidade que vai até 720 metros. A extensão é de 5,8 quilômetros e a distância entre as paredes, é de no máximo 2 quilômetros. O visual espetacular das matas nativas e paredões de pedra é complementado por duas quedas d’água gigantes: a Cascata Véu da Noiva e a Cachoeira das Andorinhas.

O Canyon Itaimbezinho conta com três trilhas principais, sendo que a trilha do Vértice e a trilha do Cotovelo podem ser realizadas por qualquer pessoa. Mas, para fazer a trilha do Rio do Boi é necessário o acompanhamento de um guia local autorizado. As grades de proteção, áreas de descanso, placas e sinalização do Parque Nacional Aparados da Serra facilitam o percurso e tornam as trilhas seguras.

Boa parte da Trilha do Vértice possui calçamento e o trajeto de apenas 1,5 km ida e volta é um tour mais light. O percurso leva até onde as paredes do cânion se encontram: o nome de vértice é devido a isso. Essa vista é um dos melhores ângulos para contemplar a magnitude da Cachoeira Véu da Noiva. A Trilha do Cotovelo é um pouco mais longa, são 6 km ida e volta, realizados em uma média de 3 horas (com paradas para apreciação e fotos, é claro). O trajeto é de nível fácil, contando com paisagens incríveis e diversos mirantes, que proporcionam uma bela vista dos paredões de pedra, mata, cachoeiras e encostas.

Agora se você quer se aventurar mais longe e o condicionamento físico está bom, a Trilha do Rio do Boi é imperdível! São 14 quilômetros ida e volta, em um trajeto de 8 horas que cruza o rio várias vezes. Por isso, é obrigatório o acompanhamento de um guia. Mas a expedição compensa: no final da trilha as paredes de pedra acima de você têm mais de 700 m de altura. É impressionante!

Cânion Fortaleza – Parque Nacional da Serra Geral

Cânion Fortaleza Cambará do Sul

Imagem: Wikipédia 

Com um acesso distante 23 km de Cambará do Sul, o cânion Fortaleza sempre impressiona as pessoas que o conhecem. O canyon pode ser visitado por meio de duas trilhas, com cerca de 2 horas de duração, ida e volta. A Trilha da Pedra do Segredo permite ver a cachoeira do Tigre Preto e uma formação curiosa de pedra que se equilibra em uma pequena base: a Pedra do Segredo. Outra formação peculiar pode ser vista ao fundo do cânion, a Pedra Dedo de Deus.

A Trilha do Mirante, como o nome já diz, leva ao simbólico ponto de observação, que com seus 1167 metros de altura permite ter uma visão geral do canyon, do litoral e da região costeira. Um verdadeiro espetáculo da natureza.

Além do Cânion Fortaleza, a área de 17300 ha do Parque Nacional da Serra Geral abriga outros canyons lindíssimos: Churriado, Malarca, Josafaz, Molha Coco, Índios Coroados, Leão, Macuco, das Bonecas e Pés de Galinha. Os nomes são um tanto curiosos, mas as paisagens constituídas por estas belas formações são de tirar o fôlego.

Cambará do Sul no inverno: Circuito das Águas

Cascata dos Venâncios

Imagem: Cascata dos Venâncios. Por Rodrigo Alexandre Geyer Kaspary / Wikimedia 

O Circuito das Águas é um passeio que passa pela Cachoeira dos Venâncios, Passo do S e Passo da Ilha. Além das majestosas cachoeiras, o trajeto conta com paisagens de araucárias lindíssimas, fazendas com ovelhas e, talvez você até poderá ver uma boiada atravessando o rio na parte rasa. Como o trajeto passa necessariamente pelas águas, é indicado que seja realizado com veículo 4 por 4.

O circuito pode começar na Cachoeira dos Venâncios ou no Passo da Ilha. Se você iniciar o passeio na cachoeira, verá que ela é formada por quatro quedas, no Rio Camisas. De lá o trajeto segue rumo ao Passo do S, um trecho mais largo do Rio Tainhas, no qual nem os moradores da região tem pontes para atravessar. A atração fica por conta da cachoeira do Passo do S – que paisagem! E, por último, o Passo da Ilha, no Parque Estadual do Tainhas. O jipe para no meio da travessia do rio, em uma esplanada rasa e de pedras lisas, para que os turistas possam descer ali no meio e andar pelo rio, proporcionando uma experiência única.

Não deixe de visitar também a Cachoeira do Tio França, uma queda de água de 15 metros, que mostra toda a exuberância da natureza e da floresta nativa.

Cavalgadas, Passeios de Bote e Excursões Off-Road

Cavalgada Noturna

Entre as muitas formas de conhecer as belezas naturais de Cambará do Sul, a cavalgada é uma das mais incríveis. Os passeios a cavalo proporcionam bem-estar, melhoram o humor e relaxam o corpo. Talvez pelo movimento do cavalo ou porque dá uma sensação de liberdade.

Algumas trilhas para contemplar as paisagens na companhia do animal são: a Trilha Cambará, a Trilha da Fazenda, a Trilha do Lajeado, a Trilha da Cachoeira da Porteira Velha e a Trilha da Lua Cheia. Esta última é bastante especial, pois é uma trilha realizada somente em noites de lua cheia. Já pensou cavalgar pelos cenários deslumbrantes de Cambará do Sul com o caminho iluminado pelo luar? Um dos pontos mais altos de uma fazenda do percurso é o lugar ideal para observar o céu e a lua, pois a região é uma das mais incríveis para praticar turismo astronômico.

Com tantos rios e corredeiras, os passeios de bote (ou floating) também são uma excelente atividade. O trajeto é visualmente atrativo e divertido, passando por matas e garantindo muita adrenalina e banhos de rios. Mas, se estiver frio, o passeio pode ser realizado sem se molhar.

Assim como a cavalgada, os passeios de bike são ótimos para observar toda a beleza da região. Mas se você preferir uma atividade com mais emoção, são boas opções as excursões off-road, com quadriciclo ou veículos 4×4.

Praça Central: Igreja, Casa Amarela e Restaurantes

Cambará do Sul no Inverno Praça Central Igreja

Imagem: Igreja Matriz São José / TripAdvisor 

A cidade de Cambará do Sul é pequena, com 6.400 habitantes (2020), mas é uma graça, limpa e organizada. A Igreja Matriz São José encanta com seu jeito simples e vitrais belíssimos. Aproveite para visitar também, ao lado da praça onde se localiza a igreja, a bela e antiga Casa Amarela construída em 1935. No ano de 1998 esse casarão foi revitalizado e transformado em Centro Cultural. Na praça central também pode ser encontrada a Casa do Turista e excelentes restaurantes e lanchonetes.

As acomodações em Cambará e região dos canyons não deixam a desejar, e contam, inclusive, com algumas opções diferenciadas. Como, por exemplo, o estilo glamping, uma espécie de camping glamouroso, que proporciona a experiência do acampamento e do contato com a natureza com conforto. Confira as pousadas de tirar o fôlego na região dos cânions.

Deu para ver que a Terra dos Cânions é um lugar super especial, para levar nas fotografias, memórias e no coração, não é mesmo? A próxima cidade do nosso roteiro pelo inverno gaúcho é a capital nacional do vinho. Sabe qual? Isso mesmo, Bento Gonçalves! Acompanhe. 😊

Compartilhe com um amigo:

O especialista do frio indica...

Quando as temperaturas começam a baixar, nada melhor do que contar com a opinião, conselhos e dicas de quem entende muito sobre o frio. Não importa qual o assunto, aqui você encontrará o melhor conteúdo para que possa aproveitar todos os momentos do inverno e esclarecer as suas principais dúvidas sobre os dias frios. Quer sugestões sobre os melhores produtos para aquecer, dicas  para manter a saúde ou sobre o que levar na mala na sua próxima viagem de inverno? Confira alguns posts selecionados a dedo pelos nossos especialistas do frio para você!

Top