Inverno: uma abordagem científica

19 de abril de 2017 - Por Portal de Inverno

Inverno, aquela estação onde o conforto se torna uma busca essencial. Roupas que aquecem, uma bebida quente, uma boa companhia e momentos inesquecíveis. Sem dúvida, esta estação é amada por inúmeras pessoas no mundo inteiro, principalmente pelas suas características únicas que mexem com o emocional de qualquer um. Mas, você compreende de forma técnica como o inverno acontece? Não? Então vamos tentar entender um pouco!

O inverno ciência

Primeiro, precisamos compreender os motivos da existência das estações do ano (Verão, Outono, Primavera, Inverno), assim como seus movimento e características. Veja bem, as estações do ano acontecem devido à relação que o movimento do planeta terra em torno do sol (sua órbita) tem com o movimento em torno do seu próprio eixo (sua base), à uma inclinação aproximada de 23,3º graus. Para facilitar, podemos imaginar como se fosse um pião girando ao redor de outro objeto, com a sua base apontada sempre para a mesma direção em um processo totalmente cíclico e com uma duração de um ano, até se reiniciar.

Este acontecimento ocasiona uma alternância na intensidade dos raios solares recebidos nos diferentes pontos da terra durante o ano, sendo seu período mais intenso durante o verão e, o mais suave, durante o inverno. O outono e a primavera seriam considerados períodos ‘neutros’, podemos assim dizer.

Essa estação tão apaixonante acontece dos 21 de dezembro a 22 de março no Hemisfério Norte e dias 21 de junho a 23 de setembro no Hemisfério Sul. Nesse período de tempo as noites são mais longas do que os dias, a umidade relativa do ar cai e o frio definitivamente se instala.

O inverno abordagem científica

Podemos entender ‘o frio’ como a ausência ou perda de calor que ocorre devido à baixa temperatura do ambiente que se relaciona com o corpo que o sente. Esse, por sua vez, é variável. Porém, cientificamente não são consideradas como frias temperaturas acima de 20ºC, mesmo sendo um processo totalmente sensorial, ou seja, varia conforme a temperatura na qual o corpo se encontra. Assim, conseguimos caracterizar as temperaturas em três níveis:

– Frio ameno (entre 16ºC e 20ºC)

– Frio médio (entre 8ºC e 15ºC)

– Frio extremo (abaixo de 7ºC)

Nesse último nível (frio extremo), existe a possibilidade de nevar. Mas, calma! Não basta apenas estar frio, é necessário um conjunto de características para que esse fenômeno aconteça. As nuvens precisam estar úmidas e, tanto a atmosfera quanto o solo, precisam ter a temperatura baixa (em torno de 0ºC ou menos) a ponto de formarem os cristais de gelo na atmosfera e os manterem congelados até que cheguem ao solo. Caso contrário, este chegarão em terra na forma de chuva. 

Quando se trata da meteorologia, dificilmente podemos dar como concreta uma previsão de longo prazo, pois ela é instável. Suas possibilidades e históricos são estudados, mas sempre pode haver uma influência ou uma mudança que renova toda sua forma de agir. A complexidade do tempo (situação climática) o torna encantador, misterioso e único, nos fazendo sentir em meros detalhes físicos a grandiosidade do mundo que nos cerca.

Compartilhe com um amigo:

O especialista do frio indica...

Quando as temperaturas começam a baixar, nada melhor do que contar com a opinião, conselhos e dicas de quem entende muito sobre o frio. Não importa qual o assunto, aqui você encontrará o melhor conteúdo para que possa aproveitar todos os momentos do inverno e esclarecer as suas principais dúvidas sobre os dias frios. Quer sugestões sobre os melhores produtos para aquecer, dicas  para manter a saúde ou sobre o que levar na mala na sua próxima viagem de inverno? Confira alguns posts selecionados a dedo pelos nossos especialistas do frio para você!

Top