Islândia: o que você precisa saber antes de ir

10 de dezembro de 2021 - Por Portal de Inverno

A Islândia ganhou notoriedade nos últimos anos como um dos destinos populares entre os viajantes que amam aventuras e, principalmente, o frio. O país também é conhecido pelas paisagens deslumbrantes e incomuns que se transformam a cada instante. Ou seja, é ideal para os turistas que gostam de passeios cheios de descobertas, se conectando com a natureza que é incrível em diversos cenários.

No país europeu é possível encontrar paisagens de tirar o fôlego, como ver a aurora boreal, além de cachoeiras, vulcões, piscinas termais, cavalos exóticos, geleiras, campos de lavas, praias de areia preta, e muito mais! Mas para visitar a Islândia, é necessário realizar o planejamento e buscar informações para você montar o melhor roteiro. Por isso, contamos com a parceria do César Wataya e da Josi Ledis, do canal Mochila Cheia, que separou dicas especiais para te auxiliar na sua próxima viagem.

Clima e temperatura

Neve e geleiras na Islândia

Considera-se que na Islândia existem duas estações: inverno e verão. Mas não é o verão que nós brasileiros conhecemos. Com duração de maio a agosto, esse é o período do sol da meia noite, da temporada das baleias, pássaros migratórios e vegetação verde.

O inverno é a época em que o país fica todo coberto de neve, com cachoeiras congeladas e icebergs, marcando ainda temperaturas negativas. Durante a estação, que acontece de outubro a abril, os dias ficam mais curtos e frios.

Se você deseja conhecer a Islândia durante o inverno, é importante estar aberto a imprevistos por conta das condições climáticas, que podem afetar o fluxo nas estradas e até mesmo fechá-las. Por isso, tenha um roteiro flexível.

A viagem do César e da Josi aconteceu em setembro, considerado um mês que não registra um inverno tão rigoroso. Naquele período, as temperaturas estavam com máxima de 5ºC e mínima de -1ºC, com bastante chuva, vento e neve.

Dicas para você organizar sua viagem para a Islândia

Paisagem com areia preta Islândia

Aqui você encontra informações sobre despesas, hospedagem, como se planejar para ver a aurora boreal, canais oficiais da Islândia para você acompanhar, entre outras dicas. Confira a lista abaixo:

1) Moeda

Na Islândia, a moeda é a Coroa Islandesa (ISK). Para a viagem, o César e Josi compraram dólar em casas de câmbio no Brasil. Já no país europeu foi feita a troca por ISK, ainda no Aeroporto Internacional de Keflavik. É possível, ainda, utilizar cartão de crédito.

Pensando no real, a Islândia pode ser considerada um país com custo mais elevado. Para se ter uma ideia, no início de dezembro de 2021, R$ 1 equivale a 23 ISK. Para europeus e americanos, por exemplo, a viagem fica mais em conta por causa da valorização da moeda.

Além das tradicionais despesas de viagem, como deslocamento, alimentação e hospedagem, foi necessário apresentar o teste PCR, por causa da pandemia de coronavírus. Como o cenário pandêmico sofre alterações, é necessário acompanhar as regras do governo para você visitar o país.

2) É possível se comunicar falando inglês

O idioma oficial é o islandês, que é derivado da língua nórdica antiga. No entanto, a maioria da população fala inglês. Caso você não sinta segurança em viajar para outro país por não sentir familiaridade com a língua, ter um celular com internet irá auxiliar muito.

Para a viagem, o pessoal do Mochila Cheia usou o chip da Siminn. Também há outras empresas, como a Vodafone e a Nova. No Brasil existem empresas que entregam o chip em casa, por isso é importante fazer uma pesquisa para a compra. Assim, você já chega no país com internet, o que facilita bastante.

3) Voo para a Islândia

É importante destacar que o Brasil não tem voo direto para a Islândia, mas muitos países da Europa e da América do Norte, como os Estados Unidos, fazem a conexão. Para aproveitar toda a jornada, é possível você fazer uma parada para conhecer um pouco do local de conexão, como um ponto turístico, e depois voltar para o aeroporto para seguir o roteiro.

Algumas das conexões são as seguintes: França, Holanda, Alemanha, Espanha, Inglaterra, Itália e Portugal. Para quem deseja conhecer outros lugares durante as conexões, mais conhecido como stopover, existem companhias aéreas low cost (baixo custo) na Europa, como WOW Air, EasyJet, SAS, Icelandair e AirBaltic.

4) Motorhome ou hotel?

Pela experiência do casal, escolher um motorhome ou hotel para passar os dias depende do tempo que irá durar a viagem e do seu estilo de vida. Sendo poucos dias, com a intenção de apenas fazer uma golden circle (rota circular que começa e termina na capital da Islândia, Reykjavík), compensa mais ficar hospedado em um hotel. Você pode encontrar o que mais se adequa a sua necessidade em sites de busca ou até mesmo no Airbnb.

Agora, se você tem a intenção de realizar a ring road, que é dar uma volta na ilha, é melhor alugar um motorhome, pois será mais confortável para você fazer paradas e descansar entre um ponto turístico e outro. A Islândia é super preparada para esse tipo de passeio com veículos, sendo possível encontrar diversos campsites. A dica é conferir esse site que reúne grande parte dos campsites.

É importante considerar, ainda, que a partir da estrada você terá fácil acesso aos principais pontos turísticos, sendo possível enxergá-los ainda no trajeto. A única exceção é a cachoeira de Svartifoss, porque fica localizada em uma reserva com estacionamento pago e é acessível por uma trilha.

Além disso, utilizar um motorhome ou uma campervan pode te auxiliar a economizar na viagem. Na Islândia, o César e a Josi alugaram um motorhome na Nordic Holidays.

5) PID e seguro do veículo

Motorhome para alugar na Islândia

Para dirigir um motorhome, a categoria B é aceita. Mas além disso, você precisa solicitar a Permissão Internacional para Dirigir (PID) no site do departamento de trânsito do seu estado.

Ainda, para viajar com tranquilidade, uma dica é adquirir um bom seguro para o veículo. Para essa viagem, o casal escolheu um seguro de danos gerais e seguro de vidro.

6) Dica para não ter problemas com tomadas

Hoje em dia, estamos mais conectados do que nunca. Por isso, é necessário sempre estar com carregadores de aparelhos eletrônicos para não faltar bateria, além de itens de bem-estar e utensílios necessários para seguir a viagem.

Na Islândia, a voltagem é 220 volts e as tomadas são do padrão europeu. Ou seja, têm dois pinos redondos. Por isso, a dica é carregar um adaptador em T para evitar problemas na hora da utilização.

7) Outros sites da Islândia para você acompanhar

Passeio na Islândia em setembro

Na hora de fazer o planejamento da viagem, é importante acompanhar sites oficiais, como governamentais, meteorológicos e turísticos para você se programar. Para você que deseja ir para a Islândia, acompanhe sites como o Escritório Meteorológico para previsão do tempo, Secretaria de Turismo, site governamental, acompanhamento das condições das rodovias, e informações adicionais, como dicas do que fazer no país e Direção da Imigração.

Planeje-se para ver a aurora boreal

Um dos fenômenos mais incríveis da natureza é a aurora boreal. Ela ocorre a partir de uma explosão solar que libera partículas energizadas que, ao entrar em contato com o campo magnético da Terra, é parcialmente canalizada em direção aos polos magnéticos. Quando as partículas entram em contato com os gases atmosféricos, adquire a coloração verde, que vem a partir do contato com o oxigênio; a azul, com o hidrogênio; e a vermelha, com o nitrogênio.

Mas qual a melhor época para ver a aurora boreal? O período mais propício é entre final de setembro e março. Em outras épocas, o fenômeno é mais difícil de ocorrer. No entanto, é importante destacar que para ver a aurora boreal, você realmente precisa caçá-la. Sim, sair e procurar! A não ser que tenha muita sorte em vê-la pelo caminho, como aconteceu com o César e a Josi!

Eles estavam a caminho de um campsite, próximo da meia noite, quando viram no céu uma luz. Então pararam o carro para observar e, de repente, começou a ficar verde, parecendo uma dança no céu. Para eles, a experiência foi surreal!

Outras possibilidades são acompanhar sites e aplicativos que disponibilizam informações sobre esse fenômeno espetacular. No site da Universidade do Alaska é possível ter muitos dados sobre a aurora boreal, além de informar onde o fenômeno irá passar. Já no site do Escritório Meteorológico da Islândia é possível acompanhar se existem nuvens no local onde você está.

Para observá-la melhor, é necessário estar em um local onde não haja incidência de luz, porque quanto mais escuro, melhor será para enxergar a aurora boreal.

Continue acompanhando o Portal de Inverno. Aqui você também irá conferir dicas sobre roteiros ring road e golden circle e o que levar na mala para viajar para a Islândia.

Compartilhe com um amigo:

O especialista do frio indica...

Quando as temperaturas começam a baixar, nada melhor do que contar com a opinião, conselhos e dicas de quem entende muito sobre o frio. Não importa qual o assunto, aqui você encontrará o melhor conteúdo para que possa aproveitar todos os momentos do inverno e esclarecer as suas principais dúvidas sobre os dias frios. Quer sugestões sobre os melhores produtos para aquecer, dicas  para manter a saúde ou sobre o que levar na mala na sua próxima viagem de inverno? Confira alguns posts selecionados a dedo pelos nossos especialistas do frio para você!

Top