Torres del Paine

Desbravando o Parque Nacional Torres Del Paine

Desde o momento em que planejávamos a nossa viagem pelo continente americano, já sabíamos que o Parque Nacional Torres del Paine seria um destino certo na Patagônia Chilena. Esse parque é reconhecido como um dos mais lindos da América do Sul e do mundo. Recebe milhares de amantes de trekking do mundo todo que buscam percorrer seus famosos circuitos de caminhada por vários dias.

O circuito mais conhecido é o “W”, que tem esse nome pelo traçado da trilha que possui 3 pernas. Já o circuito “O” é para os mais experientes, fazendo uma volta completa em torno do Maciço Paine, a grande cadeia de montanhas do Parque. Nós optamos por fazer o circuito W, já que queríamos desbravar bem o parque, mas não tínhamos todo o preparo necessário para o circuito completo. Além disso, resolvemos dar um intervalo de um dia de descanso entre cada dia de trekking, pois eles são bem pesados (aproximadamente 8h de caminhada).

No nosso primeiro dia, fizemos a trilha para as famosas Torres, que dão nome ao parque. O trajeto de 21km (ida e volta) é super cansativo, percorremos todo ele em 9 horas! Embora seja um percurso demorado, vale cada gota de suor e as dores no corpo quando se chega aos pés das torres e é possível apreciar todo aquele visual espetacular. 

Torres

No dia seguinte, percorremos as estradas do parque com o nosso motorhome, aproveitando para descansar um pouco já que no dia seguinte continuaríamos o circuito W. O tour de carro pelo parque vale MUITO a pena, por isso recomendamos o parque para todos, mesmo para aqueles que não são adeptos dos trekkings. Em vários momentos o ponto alto está ao lado da estrada, enquanto em outros uma caminhada de 1h te leva a lugares surpreendentes, como à queda d´água Salto Grande e ao Lago Nordenskjold. 

Torres del Paine Lago

Para fazer o restante do circuito W, tivemos que reservar um camping pois não existem estradas para aquele lado do parque. Ficamos no camping Paine Grande por 3 noites, onde conseguimos descansar depois das trilhas e também desfrutar do ambiente que era muito legal. 

Nosso próximo objetivo do circuito W era chegar bem próximo do Glaciar Grey, que faz parte dos Campos de Hielo Sur, a terceira maior concentração de gelo do mundo. Pesquisas demonstraram que esse Glaciar está em processo de retrocesso, estimando-se que ele já tenha perdido mais de 2 quilômetros de extensão nos últimos 30 anos. Para chegar até o Grey, nós precisamos fazer um outro trekking de 22 km! Cansamos tanto nessa trilha que no final já havíamos tirado até os casacos. 

Torres del Paine Glaciar

Para encerrar a temporada de trekkings por Torres del Paine, fizemos a última perna do circuito W, que nos levou até o Vale do Francês. Esse destino é perfeito para quem quer presenciar uma avalanche do Glaciar Francês, o que costuma acontecer com muita frequência. Começamos a trilha com sol e estávamos bem animados, mas foi só nos aproximarmos do Vale que a chuva resolveu aparecer. Felizmente era uma chuva bem fraca que não nos impediu de sentar e contemplar aquela paisagem de filme que tínhamos bem ali na nossa frente. Logo a chuva passou e com ela veio uma avalanche! O barulho é muito forte e nos deixou extasiados por algum tempo. Tentamos registrar aquela cena em vídeo, mas não sei se foi o tremor pela emoção ou pelo frio que deixou a filmagem com uma péssima qualidade. De qualquer forma, o que importa é o registro que temos em nossas memórias.

Torres del Paine Vale Frances

Torres del Paine foi um dos lugares mais lindos que visitamos nas nossas vidas, superando as nossas expectativas (que já eram bem altas). Para quem quiser ter uma experiência incrível por lá, recomendamos visitar entre os meses de outubro a março, quando as temperaturas ficam mais agradáveis e se pode aproveitar melhor as atividades do parque. Mas tenha em mente que mesmo no verão as temperaturas oscilam muito e você deverá estar preparado para pegar muito vento, chuva, frio e calor que podem ocorrer todos no mesmo dia. Para garantir o seu conforto durante os passeios, a dica é se vestir em camadas e, se necessário, retirar ou incluir peças durante o percurso. Nós utilizamos: blusas e calças térmicas, fleece térmico e casaco impermeável. Para as extremidades, utilizamos gorros e luvas que foram fundamentais em locais com maior altitude, como na base das torres.

Torres del Paine Acessórios

Outra dica importante caso você queira pernoitar dentro do parque, é fazer as reservas das pousadas ou refúgios com antecedência, já que a disputa por vagas é grande durante a alta temporada.

Gostou das nossas dicas? Também ficou com vontade de conhecer Torres del Paine? Deixe nos comentários qualquer dúvida que você tiver em relação a esse destino incrível. Será ótimo poder ajudá-lo(a). 

Dois gaúchos (Fábio e Patrícia) que amam viajar! Na aventura atual, eles embarcaram em um motorhome pelas Américas buscando novas experiências culturais e gastronômicas. Decidiram realizar o nosso sonho de viajar de carro por tempo indeterminado em uma jornada cheia de desafios.

Deixe o seu comentário, dúvida ou sugestão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

voltar ao topo