Grand Canyon Neve

Grand Canyon: A neve transforma a paisagem no mais famoso canyon do mundo

O cenário é o deserto, mas a protagonista é a água. Com toda a sua força reunida nas corredeiras do Rio Colorado, ela dominou, erodiu e esculpiu ao longo dos últimos 6 milhões de anos um enorme desfiladeiro nas planícies do Arizona, formando a paisagem do Grand Canyon. Acompanhada pelo vento, outro personagem importantíssimo nessa história, a água escava e modela paredões de rocha e revela, em seu caminho, parte da história geológica da Terra.
 
Grand Canyon Paisagens

Vulcões, terremotos, congelamentos, inundações, abalos tectônicos e outros movimentos da crosta do nosso planeta estão gravados naquelas rochas, algumas com idade que pode chegar aos 2 bilhões de anos. Marcas de uma Terra inquieta impressas nos 446 quilômetros de extensão, 29 quilômetros de largura e 1,6 quilômetro de profundidade do Grand Canyon.

Do alto dos seus paredões, predomina o vermelho na paisagem. A neve chega sem dó nem piedade durante o inverno e transforma a paisagem em um cenário digno de conto de fadas. O nascer e o pôr-do-sol alteram a incidência de luz nas rochas e revelam impressionantes tons de cinza, violeta, azul, amarelo, verde e rosa. Uma aula de geologia, com direito a show de cores! Ali de cima, tudo muito seco e árido.

Grand Canyon Inverno

Grand Canyon Paisagem Neve

Grand Canyon Neve Inverno

Então, é hora de calçar as botas, vestir casacos reforçados, colocar luvas e gorros e testar o preparo físico para desbravar as entranhas do Grand Canyon até tocar com nossas próprias mãos o Rio Colorado. As águas frias, barrentas e caudalosas desse rio também se tornaram protagonistas da nossa história, em uma expedição de cinco dias de raftings e caminhadas.

O primeiro desafio são os 18 quilômetros de descida dos paredões do canyon, a partir da sua borda sul (South Rim), na trilha Bright Angel Trail. Antes do raiar do dia, começamos a caminhada que nos levou a um ziguezague nas encostas avermelhadas. Joelhos doloridos e bolhas nas mãos de tanto apoiar nos bastões de caminhada, mas tudo pequenos obstáculos diante da beleza da paisagem. No início da tarde, finalmente chegamos às margens do Colorado e confessamos um frio na barriga ao ver os dois barcos infláveis (cada um com capacidade para 14 pessoas) que seriam nossa casa nos próximos cinco dias.
 
Grand Canyon Rafting

A partir daí, faltam palavras para narrar essa aventura. Medo, emoção e êxtase em cada corredeira do Colorado; segurança ao saber que duas cordas estão sempre ao alcance das mãos no barco, impedindo uma queda ou acidente grave no rio; alívio ao provar a deliciosa comida (teve churrasco, lasanha, panqueca, omelete, brownie de chocolate, sanduíche, saladas…); conforto ao montar nossas camas e estender os sacos de dormir ao ar livre, usando a barraca apenas para guardar nossas mochilas; boas risadas e novas amizades na grande roda que se formava todas as tardes/noites no acampamento; encantamento diante dos alces e carneiros de chifres longos avistados na viagem; longas horas de contemplação dos incríveis paredões de pedra; e, no fim, a sensação de que vivemos uma das experiências mais incríveis das nossas vidas, no mais famoso canyon do mundo!

Renato Weil e Glória Tupinambás, colunistas de Viagem e Turismo da Rádio CBN, colocaram o pé na estrada a bordo do motorhome A Casa Nômade para desbravar os extremos das Américas!

Deixe o seu comentário, dúvida ou sugestão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

voltar ao topo