Ushuaia: explorando o fim do mundo

9 de janeiro de 2017 - Por A Casa Nômade

Enfim em Ushuaia, no fim do mundo!

Foram anos de planejamento, 4.349 quilômetros rodados (a partir de Foz do Iguaçu), oito dias inteiros na estrada e expectativas, muitas expectativas. Tudo isso para nós, os repórteres Renato Weil e Glória Tupinambás, chegarmos ao Fim do Mundo com o nosso motorhome A Casa Nômade e levarmos um tapa na cara! Isso mesmo! Estar em Ushuaia, a cidade mais ao sul do planeta, é um sacolejo na vida de qualquer viajante!

É tudo tão remoto, tão distante, tão infinito… que constatamos que, quanto mais se viaja pelo mundo, menor a gente se sente! Realmente não passamos de um grãozinho de areia nesse universo e é preciso se sentir pequeno para ter a humildade de reconhecer que esse lugar é especial, de uma beleza ímpar e de uma simbologia imensa. Aqui, onde a Terra habitável termina, onde temos a sensação de que vamos cair do mapa a qualquer momento, é também onde encontramos paz e coragem para renovar nossos votos de seguir em frente, sem temer distância, desafios e obstáculos. Receios ficam para trás e só o que nos move é o anseio de desbravar cada canto deste planeta!

Glaciar Martial

Então, bora lá explorar o Fim do Mundo? É hora de calçar as botas, ignorar o frio e a neve para caminhar vários quilômetros até chegar ao Glaciar Vinciguerra, à Laguna Esmeralda e ao Glaciar Martial, os principais cartões-postais de Ushuaia.

Pelo caminho, é bom prestar atenção na habilidade devastadora dos castores, com dentes gigantes e uma inteligência de dar inveja, que parecem ter saído das páginas de uma história em quadrinhos. Na Patagônia, esses roedores são conhecidos por seu potencial devastador de cortar árvores, destruindo florestas inteiras, e construir barragens que, ao se romperem, provocam graves inundações.

Ushuaia Castores

O passeio só fica completo depois de navegar pelas águas do Canal de Beagle, ligação entre os oceanos Atlântico e Pacífico e parar no Parque Nacional Tierra del Fuego para carimbar o passaporte.

Canal Beagle

Ali, o Carteiro do Fim do Mundo, Carlos Delorenzo, uma peça rara que há mais de 20 anos comanda o Correio do Fim do Mundo, vai pregar um selo no seu documento de viagem e te apresentar um pouco da sua curiosa história. Anarquista assumido, com um hilário bigode e rodeado por fotos de Che Guevara e Evita Peron, Delorenzo, de 69 anos, tem mesmo muito para contar.

Carteiro Fim do Mundo Ushuaia

Já foi maestro em Buenos Aires e, há duas décadas, decidiu se mudar para Ushuaia com a intenção de criar o Correo Del Findel Mundo. Inicialmente, o escritório funcionava no meio do Canal de Beagle e ali paravam navegantes e aventureiros para dar sinal de vida e mandar correspondências. Mas com o avanço dos meios de comunicação, esse serviço perdeu utilidade e, hoje, Delorenzo atende apenas turistas que vão até ali em busca do famoso carimbo e do selo do Fim do Mundo.

Pensam que acabou? Não! Para se despedir de Ushuaia ainda falta provar o típico “cordero al asador” e fazer a foto oficial na lendária placa da Bahia Lapataia.

Bahia Lapataia Ushuaia

Aí está a indicação: “Alaska a 17.848 quilômetros.” Agora sim! Ushuaia já está carimbada no nosso passaporte! E, enfim, podemos dizer: Alaska, aqui vamos nós!

Compartilhe com um amigo:

O especialista do frio indica...

Quando as temperaturas começam a baixar, nada melhor do que contar com a opinião, conselhos e dicas de quem entende muito sobre o frio. Não importa qual o assunto, aqui você encontrará o melhor conteúdo para que possa aproveitar todos os momentos do inverno e esclarecer as suas principais dúvidas sobre os dias frios. Quer sugestões sobre os melhores produtos para aquecer, dicas  para manter a saúde ou sobre o que levar na mala na sua próxima viagem de inverno? Confira alguns posts selecionados a dedo pelos nossos especialistas do frio para você!

Top